Publicado em 07.07.2017 - Bullying - Sem comentários
Os bullies são famosos por atormentar suas vítimas pessoalmente – na escola, no parque, nos esportes. Agora, porém, o cyberbullying (ou bullying online) abre as portas para assédio 24 horas por dia, por meio de computadores, celulares, consoles de jogos ou outros meios que usam a Internet.Converse com seus filhos sobre bullying online. Pergunte a seus filhos o que estão fazendo online e incentive-os a conversar com você caso sejam assediados. Prometa que você vai agir para protege-los e explique o que vai fazer. Tranquilize-os dizendo que você não interromperá o uso de telefone e computador.

Mantenha o computador da família em uma posição central. Se as crianças jogam videogames, coloque também consoles conectados à Internet em posição central. Os adolescentes têm tantas formas de acessar a Internet que nem sempre adianta colocar o computador em uma posição central. Com crianças mais velhas, é muito importante ter discussões honestas.

Procure sinais de bullying online -por exemplo, aborrecer-se enquanto está online ou relutância em ir à escola.

Não tolere bullying online em casa. Diga a seus filhos que nunca, em qualquer hipótese, devem intimidar alguém. Esclareça as consequências.

Mantenha sigilo das senhas. Aconselhe seus filhos a não compartilhar senhas ou outras informações que possam ser usadas para intimidá-los, nem emprestar seus telefones ou laptops.

Incentive seu filho a fazer amigos e ajudar os amigos a cuidarem uns dos outros. É menos provável que os cyberbullies abordem aqueles que parecem ter amizades sólidas. Se uma vítima tiver amigos que venham em seu socorro, a intimidação em geral cessa.

O que fazer se alguém estiver assediando seu filho online

A melhor forma de ajudar uma criança assediada online é o apoio positivo, ativo, experiente e previsível.

Aja imediatamente. Seu filho precisa saber que você pode e vai ajudar. Não espere para ver se o abuso cessará. Se você perceber que seu filho está correndo risco de ameaça física, chame a polícia imediatamente.

Deve-se fazer de tudo para encontrar o cyberbully, contê-lo e responsabilizá-lo. Se o bully for um aluno, pense em denunciá-lo à escola. Denuncie o assédio ao site onde ele ocorre. Muitos serviços têm moderadores e locais para informar abusos, por exemplo, abuse@microsoft.com. Peça à empresa de telefonia celular para rastear as chamadas e aja.

Diga a seu filho para não responder ao assédio online e nem retaliar, pois os bullies esperam uma reação. Não atenda ligações ou responda (nem mesmo leia) mensagens de texto ou comentários.

Bloqueie cyberbullies. A maioria dos serviços na Web lhe permitirá bloquear qualquer pessoa cujo comportamento seja de alguma forma inapropriado ou ameaçador. Consulte seu serviço de rede social, IM ou celular para saber como proceder.

Guarde a evidência. Guarde as mensagens de texto, emails e outras provas do bullying online caso as autoridades necessitem delas.